Brasil pode duplicar produção de pescado em cinco anos com aposta em sustentabilidade

Segundo o último levantamento divulgado pelo extinto Ministério da Pesca e da Aquicultura, agora incorporado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a produção mundial de pescado é de 158 milhões de toneladas por ano e movimenta cerca de 600 bilhões de euros/ano. O Brasil ocupa o 12º lugar em produção comparado a outros países, mas o Ministério da Pesca pretende mais que dobrar a produção aquícola em cinco anos. A intenção é alcançar em 2020 a marca de 2 milhões de toneladas/ano, assumindo posição entre os cinco maiores produtores do mundo.

“A palavra do futuro para o setor é a permacultura, ou seja, é uma sustentabilidade onde cada unidade movimenta o mínimo de nutrientes. O resíduo de uma atividade pode ser o nutriente de outra”, afirma o doutor e especialista em aquicultura, Sérgio Zimermann, que participou do One: Simpósio de Ideias Alltech, realizado em Lexington, no estado norte-americano do Kentucky. O evento contou com a presença de 60 palestrantes renomados nas áreas de ciência, agricultura, tecnologia e negócios.

Para Zimermman, o mais importante no simpósio foi a visão de atividade agrícola integrada, tendo em vista o crescimento da aquicultura no setor de agronegócio. Além disso, entre as discussões levantadas pelos palestrantes, estavam pontos como os sistemas de produção, reprodução saudável dos animais, meio ambiente, melhoramento genético, qualidade e produção.

Segundo a técnica de qualidade sênior do Grupo Pão de Açúcar, Luciana Lacerda, o evento foi o pontapé inicial para motivar pessoas envolvidas no setor. “A aquicultura, de todas as cadeias que trabalho, é a mais subdesenvolvida, infelizmente. As pessoas acham que a criação de peixes é simples, mas na verdade há muita coisa envolvida. A inserção da Alltech na cadeia, assim como o simpósio são importantes para propor essa discussão, compartilhar informações, ideias e difundir tecnologias para o setor”.

O Simpósio reuniu profissionais de diferentes áreas, fazendo a conexão entre todas as partes do processo no setor de aquicultura e discutindo o que ainda precisa ser alterado. “Apesar de ser um setor de crescimento bastante expressivo comparado à agricultura e outras carnes, a aquicultura ainda está iniciando tecnologicamente aqui no Brasil. Entre os desafios do setor, nos quais a Alltech atua, estão a questão da sanidade, que ganha maior destaque à medida que se intensifica o sistema de produção; e a nutrição, já que existe uma exigência específica para cada espécie e a preocupação com impactos ao meio ambiente, tudo isso com maior custo-benefício”, explica a Gerente de Vendas para Aquicultura da Alltech do Brasil, Mariana Nagata.

fonte:Alltech / http://www.portaldoagronegocio.com.br/

Para maiores informações entre em contato pelo formulário abaixo:

Seu nome (obrigatório)

Seu Telefone com DDD (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Assunto (obrigatório)

Sua mensagem